Qual a utilidade de um Raspberry Pi?
19 de novembro de 2016 | Autor:

Comprei um KanaKit com Raspberry Pi 2 B+ ao custo de U$69,90 em março deste ano (2016) na loja virtual da Amazon.com. O produto chegou às minhas mãos em 10 dias úteis ao preço final de R$617,20, quando o dolar estava na faixa dos R$3,40. Praticamente 60% do custo foi em impostos. A Receita Federal – o leão esfomeado – cobrou imposto até da taxa de transporte (remessa internacional).

É fraco, engasga quando abre dois ou mais programas na interface gráfica do Raspbian. Como servidor de internet é dificílimo de instalar. Incompatível com discos rígidos externos USB 3.0. Conecta apenas USB 2.0 (para colocar o “/home” e o “/var”). Quando transfere um lote de arquivos (vídeos, html, ou qualquer outra coisa) por FTP ele praticamente congela e só volta a servir conteúdo após terminar a transferência. Executa vídeos aos trancos, sem fluidez… Os pacotes (programas, softwares) de linguagem de programação (python, e outros) que são, conforme a propaganda do fabricante, o diferencial e principal motivo para aquisição da plaquinha, rodam em qualquer PC com Linux ou M$-rWindows, não necessitando dela para aprender ou desenvolver linguagens de programação.

Coloquei meu D510MO, uma placa mãe micro-ITX com tudo on board, inclusive o processador que é soldado nela, um Intel Atom D510 de dois núcleos que se comporta como um quatro núcleos, pois tem quatro threads de processamento e consome 17 watts/hora de energia elétrica; tem 4GB de RAM e disco rígido de 1 terabyte, de volta ao serviço; reinstalei o Debian 8 e todos os serviços de servidor e desliguei o desastroso e desastrado Raspberry Pi Server.

Testei e tentei descobrir alguma utilidade para ele até hoje, 18 de novembro de 2016, mas desisti. Não jogarei no lixo. Ficará na minha coleção de grandes inutilidades adquiridas e dinheiro jogado fora. Não consigo entender o porque de tanto glamour com um dispositivo que não tem praticamente nenhuma utilidade.

[Voltar]

Categoria: Notícias