O sódio é um dos íons presentes no sal de cozinha, o cloreto de sódio ou NaCl. 

O sistema nervoso só funciona com a corrente elétrica gerada por disparos de canais de sódio presentes nos axônios – a calda dos neurônios. O íon cloreto também atua na corrente elétrica gerada pelo sódio atenuando-a por um mecanismo controlado pelos receptores gabaérgicos operados pelo neurotransmissor GABA A.

O sódio tem carga elétrica positiva e deixa um elétron que ele tem de sobra na membrana do axônio gerando a corrente elétrica neuronal, enquanto o cloreto tem carga negativa por faltar-lhe justamente um elétron, diminuindo a corrente neuronal retirando o excesso de elétrons que o sódio deixa.

Sem o sódio os humanos, assim como todos os demais organismos vivos, simplesmente seriam pilhas de matéria amorfa, imóvel, sem vida e sem o cloreto, o sistema nervoso seria um gerador elétrico sem controle que acabaria por se queimar por curto-circuito. 

Na água do mar tem sódio na forma de cloreto de sódio a uma concentração 0,9%, dita fisiológica. Em um litro de água do mar tem 9 gramas de cloreto de sódio. Se o sódio matasse, não existiria uma baleia ou qualquer outro organismo marinho vivo.

O ânion cloreto (Cl) também está presente na digestão. O cloreto forma o ácido clorídrico presente nas paredes do estômago e que digerem os alimentos.

Todos os fluídos do corpo humano tem cloreto de sódio também nesta forma e concentração. 

Em 2016 saiu no The Lancet o resultado de uma pesquisa feita por Andrew Mente mostrando que a falta de sódio faz mal para o coração (leia aqui). De acordo com o estudo, uma dieta com elevada concentração de sódio aumenta em 23% a chance de problemas como hipertensão e acidentes vasculares cerebrais, enquanto uma dieta com menos de 3 gramas diários de sal eleva a chance de ataques cardíacos em 34%.

A demonização do sódio interessa diretamente à indústria alimentícia, especialmente aos fabricantes dos venenos chamados politicamente corretos de suplementos alimentares.

Antes de saírem por aí propagando mentiras ditas por falsos cientistas que tem como único objetivo catapultar suas carreiras, as pessoas deviam ler um bom livro de bioquímica, de fisiologia ou de farmacologia. Recomendo lerem o Lenningher, de Bioquímica; o Ayres, de Fisiologia ou o Rang & Dale, de Farmacologia.

Categoria: Notícias