Quem escreveu esta matéria ou é muito “inocente” (para não chamar de idiota) ou está mal intencionado.

A notícia deixa claro que os cientistas não estavam pesquisando nenhuma nova molécula ou fármaco inibidor de apetite, mas sim, quais os efeitos de uma determinada fibra na digestão e descobriram, paralelamente, que a ingestão de frutas, legumes e verduras aumenta a liberação de acetato na luz (orifício) intestinal.

Se a molécula que o jornalista se refere que descobriram e que pode levar ao desenvolvimento de uma pílula inibidora do apetite é o acetato, então este jornalista nunca estudou química na escola. Lá na antiga 8ª série do antigo 1º grau já ensinava os fundamentos da química orgânica e todos os brasileiros que concluíram o primeiro grau (o antigo), sabem que acetato é uma molécula instável produzida pela desidrogenação do ácido acético ou pela desesterificação de qualquer éster.

O que é o ácido acético, afinal de contas?

Para quem não sabe, é o nome do principal componente do nosso tão utilizado VINAGRE. Vinagre nada mais é que uma solução diluída de ácido acético e para se obter acetato à partir do ácido acético é só fervê-lo e represar o vapor resultante.

Vejam na equação abaixo a formação do acetato:

acetato3

Como está escrito acima, o acetato é uma molécula instável e sendo, por isso, um radical livre, que se entrar em contato com qualquer átomo de hidrogênio volta a ser ácido acético novamente.

Categoria: Notícias